Casa de Passagem de Guarujá está em novo endereço


Foto: Divulgação


A Casa de Passagem de Guarujá está em novo endereço. Agora, os atendimentos acontecem na Rua Paulo Orlandi, 229 – Vila Santo Antônio. O novo espaço conta com acessibilidade e tem capacidade para 20 acolhidos. A Casa de Passagem é um serviço de acolhimento inicial para crianças e adolescentes em situações de abandono, negligência ou violação de direitos.


O serviço ainda conta com o acolhimento emergencial de crianças e adolescentes oriundos de outros municípios, que necessitam de um local para aguardar o recâmbio para as suas cidades de origem.

Unidade

A unidade propicia um acolhimento humanizado, personalizado, integral e protetivo. Tudo é realizado em equipamento semelhante a uma residência, com capacidade para até 20 acolhidos, sendo que para cada cuidador há um grupo de até 10 acolhidos. Todas as condições atendem os princípios e diretrizes das “Orientações Técnicas – Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes”, norma do Ministério de Desenvolvimento Social.


O atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar composta por cuidadores sociais, equipe de apoio (serviços gerais e serviço de alimentação). Já a parte administrativa conta com uma coordenadora, assistente administrativa, assistente social e psicólogo.

Acolhimento

Em conformidade com as disposições do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), deve-se recorrer ao encaminhamento da criança e adolescente a serviços de acolhimento somente quando esgotados todos os recursos para a sua manutenção na família de origem, extensa ou comunitária. Considerando a constatação da situação de violação de direito, abandono ou negligência por intermédio do órgão do Conselho Tutelar, que é a principal porta de entrada e sendo esgotados os recursos supracitados, a criança ou adolescente será encaminhado para a Casa de Passagem.


Após o acolhimento inicial no serviço, é feita a comunicação de entrada ao Judiciário da Vara da Infância e Juventude e realizado pela equipe técnica composta de assistente social e psicólogo um estudo diagnóstico pós acolhimento para melhor avaliação do caso. Esse diagnóstico é que embasará a medida sugerida por esta equipe, quanto ao retorno à convivência familiar e comunitária ou a medida de proteção em acolhimento institucional permanente.


Fonte: Prefeitura de Guarujá

1 visualização0 comentário