Escola de Surf completa 24 anos e abre novas inscrições em Santos


Foto: Divulgação


A escola de Surfe e Competição Picuruta Salazar (no emissário submarino), parceria entre o surfista e a Prefeitura de Santos, completou 24 anos neste domingo (20). Mas, quem ganha o presente são os santistas. O local, que foi inaugurado na data em que é comemorado o Dia Internacional do Surf, está com vagas abertas para alunos a partir de 7 anos sem limite máximo de idade.

Para se matricular, os interessados devem acessar o Instagram oficial da escola (@escoladesurfpicurutasalazar), entrar em contato através de mensagem direct e indicar o horário em que desejam fazer as aulas. O aluno será contatado pela escola e, havendo disponibilidade, deverá apresentar cópia de comprovante de residência, atestado médico emitido há pelo menos três meses e duas fotos 3x4 diretamente na escola de surfe.

As aulas acontecem às terças e quintas-feiras, das 10h às 11h e 11h às 12h e das 15h às 16h e 16h às 17h (último horário é oferecido apenas no verão).

As vagas são limitadas e, em decorrência da pandemia de covid-19, a escola está operando com apenas 40% da sua capacidade. Todos os alunos inscritos devem seguir as normas sanitárias de distanciamento, não compartilhamento de materiais, higienização com o uso de álcool em gel e uso de máscara (fora da água).

LENDA

As aulas são totalmente gratuitas e os santistas que tiverem interesse em participar do projeto terão a oportunidade de trocar experiências com Picuruta, lenda do surfe que já conquistou 170 títulos e é considerado um recordista entre os surfistas brasileiros e mundiais, sendo também o dono do recorde de mais tempo surfando uma mesma onda: 37 minutos em uma pororoca no rio Araguari, no Amapá.

“É uma oportunidade pra essa nova geração poder participar da história do surfe. Pra mim é um prazer e uma honra passar adiante todo esse conhecimento e experiência para esses jovens e, quem sabe, revelar novos campeões. Um campeão não se forma em um ou dois anos, é preciso persistência e muito treino, e eu estou aqui pra isso, pra ajudar esses jovens a serem vencedores, se realmente for o sonho deles”, diz o surfista.

Ele lembra que grandes campeões já saíram da escola, que funciona no Quebra-Mar, nas imediações do Emissário Submarino. “Andrew Serrano, Cássio Sanchez e Rodrigo Tavares, o Sininho, são alguns dos grandes nomes que passaram pela nossa escola. Antigamente o surfe era muito marginalizado, mas agora as pessoas têm consciência que é um esporte como outro qualquer. Hoje, por exemplo, as nossas melhores chances de medalhas nos jogos olímpicos de Tóquio vêm do surfe, com o Gabriel Medina e o Ítalo Ferreira. Atualmente, um surfista de ponta ganha lá fora muito mais do que qualquer jogador de futebol aqui no Brasil, a realidade do surfe mudou muito e isso acaba atraindo o interesse dos jovens”, observa Picuruta.

O secretário de Esportes Gelásio Ayres Fernandes Jr. ressalta a importância da escola para o cenário do esporte na Cidade. “Nos últimos 24 anos já passaram pela escola cerca de 20 mil alunos. Dentre eles, muitos realmente decidiram fazer do surfe uma profissão e levaram o nome da nossa cidade além das fronteiras do Estado e até do Brasil. Mas não podemos esquecer o caráter social do projeto, pois são centenas de jovens que acabam sendo resgatados dos perigos da ociosidade nas ruas através do esporte. Isso realmente não tem preço”


Fonte: Prefeitura de Santos

1 visualização0 comentário