Merenda escolar de Guarujá segue medidas de higienização e controle de qualidade


Foto: Divulgação


Muitas vezes, os alunos têm na merenda escolar a sua única refeição do dia. Com esse foco principal, a Secretaria de Educação de Guarujá (Seduc) manteve o fornecimento da alimentação, mesmo durante a suspensão das aulas presenciais na pandemia. Para que a refeição seja entregue fresquinha, são adotados muitos cuidados que envolvem desde a colheita de alimentos em algumas escolas, até o rigoroso controle de qualidade, como a higienização dos produtos recebidos e verificação da data de validade.

O caminho da refeição até a mesa começa no contato com os fornecedores, que passam por licitação. Parte da alimentação vem da agricultura familiar, por meio de chamada pública. Na Cidade, os produtores são do Perequê, da Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana (SP-61), conhecida como Guarujá-Bertioga, e de outras regiões próximas. São fornecidos chuchu, alface, salsinha, mandioca, entre outros. Semanalmente, o estoque das unidades escolares é verificado e é solicitada a quantidade ideal para reposição.

As entregas dos produtos acontecem em cada unidade escolar. Segundo a Coordenadora da Alimentação Escolar, Ema Tabosa, eles são recebidos nas unidades pelas merendeiras, que são capacitadas para seguir todos os procedimentos necessários. É checada a qualidade, estado da embalagem, data de validade, pesagem do hortifrúti, higienização, armazenamento, entre outros.

Além disso, as cozinhas têm acesso restrito somente para pessoas autorizadas e os profissionais utilizam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como máscaras de proteção facial, toucas e luvas.

De acordo com a merendeira Aldinéia Santos, são produzidas cerca de 280 marmitas por dia na Escola Municipal Paulo Freire. As refeições são preparadas próximo do horário de entrega das marmitas e a temperatura é aferida para garantir a qualidade.

A tia Néia, como é conhecida, há oito anos trabalha nesta função e coleciona elogios tanto dos responsáveis quanto dos próprios alunos. “Já recebemos até cartinha das crianças agradecendo pela refeição. Ontem recebi uma pulseira de presente de um aluno de10 anos, que falou que a comida estava muito gostosa”, conta.

A empresa terceirizada Master Prime é responsável pelo preparo das refeições da Educação Infantil e também atua nas unidades polos junto com a equipe da Prefeitura.

Controle de qualidade

A qualidade da merenda escolar é controlada diariamente pelas nutricionistas da empresa e periodicamente pelas da Seduc em visitas às unidades.

As nutricionistas da Secretaria acompanham desde o preparo até a distribuição, elaboram relatórios e, quando necessário, sugerem melhorias. Elas também são responsáveis pelo cardápio mensal, que é balanceado e contempla todos os nutrientes exigidos de acordo com a faixa-etária do aluno e também no tempo de permanência na unidade. As diretrizes seguem o Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e a Resolução nº 6, do dia 8 de maio de 2020.

Por exemplo, não são oferecidos alimentos sem valor nutricional, como chás ou balas, e crianças menores de três anos não podem consumir nenhum alimento com açúcar. Os ultraprocessados também não fazem parte da alimentação oferecida. Cada prato leva carboidratos, legumes, verduras e proteína animal.

Para a nutricionista da Seduc, Fernanda Pecchiore, é muito importante para um bom desenvolvimento e melhoria do rendimento escolar que os alunos experimentem novos alimentos. “Alinhamos com a equipe das unidades, para, quando possível, incentivem o consumo de tudo que é servido no prato, mas sempre respeitando os hábitos alimentares de cada um”, finaliza.

Fonte: Prefeitura de Guarujá

1 visualização0 comentário